Colagens, por Thaylane Cristina

A colagem é, indubitavelmente, uma linguagem exigente: ela demanda cuidado e planejamento meticuloso sobre seus aspectos antes mesmo de o artista começar a materializá-la. Mesmo assim, seu raciocínio propicia uma imensa liberdade àqueles que conseguem internalizá-lo. Além de explorar as possibilidades que este meio oferece, Thaylane Cristina consegue também instigar o olhar do observador e provocar sua imaginação.

Em suas colagens, a artista transita facilmente entre as variadas exigências: as cores são coesas, as composições são agradáveis e conteúdo se equilibra perfeitamente no limiar da poesia e da provocação. Os temas costumam remeter ao universo feminino mas não se limitam somente a ele: há um rigor na estética construída por Thaylane que a permite navegar por entre as mais diversas ideias sem naufragar nos mares da incoerência. Sua capacidade de mixar diferentes campos em um trabalho nos permite ter uma experiência surrealista contemporânea permeada por contemplação e introspecção.

Trabalhar com recortes do real é natural para a artista, uma vez que sua formação acadêmica ocorreu na área do cinema. Os conhecimentos sobre os processos da montagem cinematográfica refletem na construção das colagens e na narrativa que elas contam em seu deslocar da realidade. O surreal, o lúdico e o atraente se mesclam em um transe visual rítmico, assim como ocorre nos bons filmes.

Acompanhe o trabalho de Thaylane Cristina em seu site ou Instagram.

©2020 por Diacrítico.