Special Fiend, por Polly Terror (2019)

Um disco para ouvir só ou extremamente bem acompanhado.

Polly Terror é uma musicista que possui diversas vivências que culminaram na concepção do álbum Special Fiend. Dentre elas, pode-se ressaltar sua experiência na infância em frequentar uma igreja que valorizava a música nos seus ritos e, contraditoriamente, a limitação que este espaço impôs quando ela desejou aprender a tocar um instrumento para participar da banda. Curiosamente, esta restrição não minou seu amor pela música, mas sim o intensificou. Durante a adolescência, Polly rompeu definitivamente com a tradição religiosa e buscou alternativas mais saudáveis para seu aprendizado musical, incentivada por um grupo majoritariamente feminino, encontrou o apoio necessário para consolidar o álbum e lançá-lo em 2019.

WhatsApp Image 2020-09-15 at 16.10.42.jp

Arte original por Daniel Junkeira

WhatsApp Image 2020-09-15 at 16.10.43.jp

Fotografia por Iara Musa.

Assim como não há escapatória dessa vingança, é impossível ignorar que a trajetória artística de Polly Terror e seu disco uno falam sobre a capacidade feminina de se reinventar e de conquistar seu próprio espaço nos mais diversos âmbitos da vida, ainda que essa conquista seja a força.

Atormentador para alguns, necessário para outras.

Ouça o EP Special Fiend no Spotify ou BandCamp.

Acompanhe o trabalho de Polly Terror em seu Instagram.

Special Fiend inaugura sua carreira solo, se configurando como um uivo lancinante que há muito vinha sendo silenciado por presenças masculinas tóxicas e que finalmente encontrou expressão nas composições que dão forma e conteúdo ao EP. As músicas foram desenvolvidas ao longo da carreira da artista, refletindo as variadas experiências pessoais acumuladas enquanto ela ainda era considerada uma amadora pelo circuito musical belo-horizontino. O disco ainda conta com a participação de Carmen Cunha e Laso em "Shadows" e "32 Times”.

Esse álbum, com um nome altamente misterioso, provoca a imaginação. Densas e ritmadas, as músicas e suas batidas se incorporam ao espaço e um fortíssimo teor ritualístico emana, como um convite à uma celebração obscura que incita a solidão ou ao prazer. O espírito maligno veio se vingar e arrebatadoramente reclamar para si todos os seus desejos e anseios não correspondidos. Só nos resta aceitar e nos render perante a tamanha voluptuosidade.

WhatsApp Image 2020-09-15 at 16.10.43 (1

Capa do EP Special Fiend, por Daniel Junkeira